Todos Boas Notícias Empregabilidade Felicidade Gestão de carreira Gestão de Pessoas Sem categoria

#3 Guia da Reforma: o perigo da desinformação em tempos de instabilidade

Empregabilidade Sem categoria

23/08/2017 - 7:04 | Publicado há 2 anos atrás

Você já compartilhou algum link no Facebook só pela chamada da matéria, sem ao menos clicar e ler o texto todo? Ou pelo menos conferir a fonte da notícia? Se a resposta for sim, saiba que você pode ter promovido a desinformação. Divulgar qualquer notícia que apareça nas redes é um hábito tão comum hoje em dia que gerou até um meme*: “Se está na internet é porque é verdade”. A frase irônica serve para ridicularizar quem acredita em tudo o que lê online.

desinformação: se está na internet é porque é verdade

 

Mas antes mesmo de o mundo ser completamente dominado pela tecnologia informacional, a desinformação já causava verdadeiras catástrofes. Para citar um exemplo, basta lembrar do caso da Escola Base, de 1994. Os donos, uma professora e um motorista da escola particular localizada na capital paulista foram acusados de crimes hediondos contra crianças. Os boatos se espalharam e os jornais fizeram um verdadeiro espetáculo em cima das fofocas. No fim, a Justiça constatou a inocência dos acusados, que já estavam com as vidas arruinadas.

A desinformação é algo muito perigoso, não é mesmo? Imagina quando ela envolve direitos e deveres de uma sociedade. E num momento de instabilidade política e econômica, é muito fácil tirar proveito de um tema que está em alta para difundir informações incorretas.

Uma pesquisa realizada no ano passado apontou que os brasileiros estavam desinformados acerca de pontos importantes da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). Realizada pelo site Rebatly, a pesquisa revelou que 31,6% desconhecem que a jornada de trabalho no Brasil não pode ultrapassar a marca de 44 horas semanais. Além disso, apenas 9% dos entrevistados sabem que o aviso prévio em caso de demissões sem justa causa pode chegar a 90 dias. A maioria acredita que o tempo é sempre de 30 dias.

A lei da Reforma Trabalhista entrará em vigor em novembro e altera a CLT em mais de cem pontos. Mas será que a população brasileira entendeu direito o que são essas mudanças? Muita gente não conhece bem nem mesmo a atual legislação. Entrevistamos alguns trabalhadores e trabalhadoras para saber o que eles pensam a respeito deste assunto.

A auxiliar de serviços gerais Joyce Nunes, 32 anos, acha que a proposta deveria ter sido melhor apresentada à população. “Não sei nada sobre essa Reforma, nunca chegou até mim. Acho que o governo deveria ter feito algo para explicar o que ela é, como uma propaganda na TV. Sei que é possível ler o texto na internet, mas é difícil de entender. A maioria das pessoas não entende”, afirma.

A estudante de Economia Joelma Maria dos Santos, 33 anos, disse que conhece a maioria de seus direitos trabalhistas, e também sentiu falta de diálogo com a população sobre o tema. “Foi feita sem consulta popular, em especial à classe trabalhadora. E o empresariado, de modo geral, mostrou-se muito interessado na aprovação. É importantíssimo que blogs, como o de vocês, orientem o trabalhador”, opina.

Para o aposentado Sérgio Resende, de 69 anos, a grande quantidade de vozes dissonantes falando sobre o tema dificultou a divulgação das informações. “A população está muito mal informada devido à grande mobilização dos sindicatos que são contrários e fizeram muita propaganda contra dando opiniões contraditórias. Acho que deveria ser melhor explicado. Uma propaganda dirigida esclarecendo os principais pontos e dúvidas. Precisaria ser muito independente e verdadeiro. Na situação atual ninguém acredita em ninguém”, comentou.

A engenheira civil Débora Assunção, 48 anos, acredita que precisaria haver mais diálogo e mais preparo da população antes da mudança entrar em vigor. “Sem dúvida nenhuma, precisa-se de mais tempo para se detalhar isso, para que seja realmente vantajoso para o Brasil; para os dois lados. A princípio eu acho que a população não está bem informada. Acho que não é interesse de nenhum meio de comunicação informar muito bem sobre isso. Cabe a cada um ir atrás e procurar”, afirmou.

De fato, a desinformação e as muitas opiniões divergentes demonstradas por juristas, políticos e famosos acabam por confundir muita gente. É importante ler e divulgar informações verdadeiras e objetivas sobre a Reforma Trabalhista ao máximo de pessoas possível.

Já publicamos aqui no blog um Guia com a explicação das principais mudanças na CLT. Por considerarmos esse assunto de extrema importância, continuaremos com o tema. Em breve publicaremos uma entrevista com especialistas para falar sobre a Reforma, dando espaço a todos os lados desse debate. Também explicaremos melhor alguns dos pontos abaixo, de acordo com o voto dos nossos leitores:

powered by Typeform

VAMOS COMBATER A DESINFORMAÇÃO!

Nos ajude a continuar sendo uma fonte segura e completa sobre a Reforma Trabalhista! Envie sua dúvida, comentário ou sugestão para contato@carreiraefelicidade.com.br. Curta nossa página no Facebook, siga nosso perfil no Instagram e cadastre-se no blog para ficar sempre atualizado com informações relevantes para a sua carreira.

Obrigado pela leitura e até a próxima!

Por Enes Vilela, coach e executivo de Recursos Humanos. Fundador do blog Carreira & Felicidade e da empresa Rede Especialista, lida há 20 anos com gestão de carreira e atuou na formação de mais de oito mil trabalhadores.

*Meme: É um termo grego que significa “imitação”. Na internet, refere-se ao fenômeno de “viralização” de uma informação, normalmente de humor. Pode ser um vídeo, imagem, frase, ideia, música e etc, que se espalhe entre vários usuários rapidamente, alcançando muita popularidade.

Para ver o texto completo do Projeto de Lei Complementar nº 38/2017 da Câmara (lei da Reforma Trabalhista)clique aqui.

Veja também as publicações relacionadas

Fechar

Temos um novo e-Book Veja o que dizem as melhores pesquisas sobre o assunto!

Felicidade no Trabalho

 

Você também se pergunta o que é Felicidade no Trabalho?

Obtenha o seu!

Alguma dúvida? Entre em contato